Fotógrafos acidentais

por Ana Meireles, Duarte Baião, Nuno Cardoso, Paulo Faustino, Rui Coutinho e Susana Ribeiro

Se lhe dessem uma máquina fotográfica descartável para a mão que fotografias tirava? A nm fez essa pergunta a cinco personalidades nacionais e elas responderam. Conheça as fotos de Manuel Pinho, Alexandra Pinho, Rui Moreira, Beatriz Pacheco Pereira e Bruno Dias.

O desafio era simples: dar uma máquina descartável a figuras públicas de várias áreas e convidá-las a tirar as fotos que quisessem. O objectivo era assinalar o Dia Mundial da Fotografia, que se celebrou na quinta-feira. Encontrar quem estivesse disposto a expor as suas fotos ao mundo também não foi muito complicado, apesar de algumas recusas.
Manuel Pinho, antigo ministro da Economia e actual presidente da Fundação Arpad Szenes-Vieira da Silva, foi o primeiro a aceitar. «Eu gosto imenso de fotografia, nem sei bem explicar porquê. Mas, mesmo assim, é raríssimo tirar fotografias. Este foi mesmo um desafio, por causa disso. Foi especial para vocês [risos]», disse.
Como não queria participar sozinho, Manuel Pinho ofereceu como «voluntária» a sua mulher, dizendo que ela «tem muito mais jeito do que eu para estas coisas das fotografias. Percebe muito mais do assunto». E tem razão… em parte. «Só trabalho com fotografia. O que me apaixona mais na fotografia não é o tirar, mas sim o ver. Detesto tirar fotografias [risos]. Acho que sou péssima comparado com aquilo que vejo. E detesto que me tirem fotografias», explicou à nm Alexandra Pinho, directora do BESArt. O casal, como entrou de férias, acabou por tirar as suas fotos no Algarve.
Bruno Dias, deputado do PCP, foi a «vítima» seguinte. E também não se fez rogado, mas deixou um aviso. «Para mim a fotografia é para brincar, para fazer às vezes um boneco ou outro.» Por outro lado, a ideia de usar uma máquina descartável foi aliciante. «É sem rede. É o regresso às origens, não temos lá o ecrã para olharmos para as fotos que tiramos».


Como representantes da cidade do Porto convidámos Rui Moreira, presidente da Associação Comercial do Porto, e Beatriz Pacheco Pereira, directora do Fantasporto. Ambos grandes amantes da fotografia. «Tenho muitos livros de fotografia e tenho algumas boas fotografias», explicou Rui Moreira, revelando que gosta de «fotografar pessoas, o que é algo de muito difícil, porque as pessoas não gostam de ser fotografadas.»
A directora do Fantasporto disse que gosta «de fotografar o todo e o pormenor. Desde uma casa a uma paisagem, de grupos familiares a caras de amigos, de jardins completos a uma flor. Tenho um conjunto de fotos de rosas que cultivei, da evolução do meu jardim desde que o plantei, fotos de nuvens sobre o Porto, da minha árvore de Natal ao longo dos anos, imagens do Porto de agora. Trivialidades e coisas muito sérias mas sempre com o prazer da forma e da luz». Esse seu gosto pela fotografia já a levou a tirar um curso. «Fiquei a conhecer melhor a minha própria máquina e a não ter medo do grande plano. Hoje em dia é fácil tirar uma boa foto. Mas ainda tiro algumas simplesmente vergonhosas.» A.M., N.C. e S.R.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s